Capela em Vale da Mó

Dados do Património
Nome: Capela em Vale da Mó

A capela era parte integrante de um recolhimento de freiras no séc. XVIII. 
Construção dos princípios do séc. XVIII, era modesta para recolhimento mas hoje é capela de categoria para aldeia. As cantarias são do grês local, de tom vermelho, que dá agradável efeito.
Encontra-se situada, no cimo de uma pequena elevação, a um dos lados da aldeia. As construções residenciais envolviam-na pelo topo e pela parte lateral do evangelho, a sul; eram modestas e estão quase destruídas, vendo-se apenas a parede lateral, também em ruínas. A capela ficava rodeada, pela residência das freiras, tanto a Sul, como nas traseiras. 
A porta principal da capela (como se tratava de recolhimento feminino), foi rasgada, na fachada lateral, e aproximada do topo. 
Nesta parte terminal da nave levanta-se, sobre um arco, o coro alto, que se ligava com
o recolhimento por meio de portas.
Ao lado esquerdo da capela-mor há ainda um vão de arco rebaixado que servia de tribuna.
A fachada lateral, a única que ficava livre, vinca-se de cantarias, além das dos cunhais, com as duma pilastra que ajuda a enquadrar a porta. Esta entrada mostra certo aparato arquitectónico: o vão é rectangular, dominado de entablamento dórico com triglifos no friso; completa o conjunto um nicho, hoje vazio, que é acompanhado de aletas e rematado de pequena cabeceira. A sineta suspendia-se de armação de ferro, que ainda se crava na pilastra junto à porta.
No interior da capela, nas paredes laterais, em substituição dos três retábulos, há pinturas nas paredes respectivas, a imitá-las, seguindo um estilo setecentista final.
No altar-mor está a escultura da padroeira, Virgem com Cristo morto (Piedade), de calcário, do principio do séc. XVIII, obra comum.
A pequena lâmpada de latão é do tipo de caldeira e aletas, dos sécs. XVII-XVIII.